Jogo das perguntas

by - 16:14


Oi gente, como vocês estão? Pra quem é mais meu amigo e já frequentou algum dos meus rolês sabe que eu adoro o jogo das perguntas. É uma brincadeira simples que inventei nas férias e é o seguinte:
- Todo mundo é obrigado a perguntar.
- Todos são obrigados a responder, exceto quem fez a pergunta.
- Pode ser qualquer tipo de pergunta.
Desse jogo já saiu tanta coisa hahah de tópicos filosóficos e grandes questões sobre o universo à coisas banais ou que falassem de sexo. 
Inspirada pelas coisas super diferentes e interessantes que pude conhecer dos meus amigos, decidi saber um pouco mais sobre o que vocês gostariam de perguntar pra mim.
Por isso pedi pra que vocês fizessem perguntas nessa foto e que agora responderei. Obrigada por todos que tiveram questões e se mostraram curiosos!! Bora lá!
Vou dividir em categorias pra não ficar tão confuso e com uma ordem nas perguntas que dê mais sentido a tudo que responderei.

ESPIRITUALIDADE

1) Quando e como vc moldou esses seus princípios de espiritualidade? Conta tua história de vida também (focada na espiritualidade) ❤
Autora da pergunta: @letspace
Bom, muito obrigada pela sua pergunta maravilhosa! Acho que primeiro vou contar a história da minha vida espiritual pra depois entender como e quando moldei meus princípios de espiritualidade. 
Se for pra dizer quando começou, eu diria: desde que me conheço por gente. Existe algo muito simples que me acompanha desde sempre, algo sutil que eu vejo em qualquer momento e em qualquer lugar que é: energia em movimento. Toda vez que tento explicar para os outros como é isso, é como se eu vesse pontinhos de luz que se movimentam imprevisivelmente, como se fosse um céu estrelado, um pequeno universo que se movimenta e manifesta há todo momento. 




Mesmo quando eu olho para o que está parado, o meu olhar foca no objeto e sempre está lá, a energia pairando para uma direção indefinida.  
Quando eu era criança e tentava explicar para os outros nunca me davam muita bola e achavam que era porque eu devia ter olhado muito tempo pra luz ou simplesmente não sabiam explicar e mudavam de assunto. Então, eu acabei não contando pra mais ninguém por um longo período de tempo justamente por ninguém entender. 
Eu só fui entender que via energia há alguns anos atrás, numa vez que acordei de madrugada e vi o quarto inteiro inundado por esses pontinhos de luz em movimento e de repente tudo aquilo veio até mim e eu me senti parte do Todo. Me senti completamente cheia de vida, meu coração acelerou e meu corpo inteiro adormeceu. Eu só conseguia chorar de alegria, de pura gratidão por me sentir assim. Minha cabeça estava a milhão, eu me vi em várias situações da minha vida em que eu simplesmente só reparava nessa energia, a contemplava e não entendia. Isso tudo vinha em flashes numa velocidade impressionante. Depois eu me via falando de como a minha imagem de Deus era de Universo e Energia. Me veio todas as vezes que eu tentava explicar o que era que eu via e as minhas explicações de "parece um universo se movimentando, pontinhos de luz que parecem estrelas". Me veio a lembrança de eu fazendo minha tatuagem de "child of the universe" no meu aniversário de 20 anos. A inspiração para essa tattoo veio desse trecho do poema Desiderata de Max Ehrmann:
"You are a child of the universe,

no less than the trees and the stars;

you have a right to be here.

And whether or not it is clear to you,

no doubt the universe is unfolding as it should."

Tradução:
Você é um filho (ou criança) do universo,
não menos que as árvores e as estrelas;
você tem o direito de estar aqui.
E mesmo que não esteja tão claro para você,
Sem dúvidas que o universo está se desenrolando como deve.  

Eu quis tatuar minha essência de ser criança do Universo, filha de Deus. Assim como vejo que todos são. E naquele momento tudo fez sentido. Eu via a energia essencial que estava literalmente em tudo a todo tempo, de um jeito lindo, sutil e que me acompanhava desde sempre. Ela estava em movimento constante porque o movimento é inerente à vida. Isso acabou dando muito conteúdo para a minha teoria, que não entrarei em detalhes agora, mas um dia com certeza eu explicarei certinho.
Hoje em dia, quando medito, essa energia se intensifica e a direção fica mais ordenada, vindo de encontro a mim, e consequentemente me deixando mais energizada. 




Bom, esse foi um ponto. Outra coisa é que dependendo da situação eu consigo ver um contorno em volta das pessoas, já me disseram que eu vejo a aura, mas ainda não tenho treino para ver cores.
Nasci já num lar de pais separados, então me dividia entre as duas famílias. A parte paterna é católica e me batizou quando eu devia ter uns dois aninhos. Tem um relato da minha avó paterna, que é uma mulher incrível e que eu herdei meu lado intuitivo, que quando eu tinha uns 3/4 anos, estava brincando na fazenda e lá tinha um riachinho que passava perto de casa e de largura devia ter uns 40 cm, as bordas eram de cimento. Diz minha vó que eu perdi o equilíbrio e caí de costas nesse riacho. Eu iria bater ou a coluna ou a cabeça na borda de cimento porque era muito estreito. Quando ela achou que o pior estava por vim, ela viu que eu fui virada e cai de lado (só que ela viu o jeito que eu caí e isso era impossível). Ela fala que nesse dia ela sentiu meu anjo da guarda me virando e sempre me conta desse fato emocionada.
A parte materna, especificamente minha avó, me levava na igreja evangélica quando eu tinha uns 5 anos. Então, eu tive uma base cristã. Me identificava mais com o protestantismo. Minha igreja chamava Casa de Oração e o que eu achava legal era que eles incentivavam as artes, então tinha grupo de teatro, grupo de dança, etc.. Minha relação com a igreja em si era muito boa, eu gostava de pegar a bíblia sozinha e ler desde muito pequena. Pode parecer estranho, mas eu orava todos os dias pedindo proteção para minha família e desejando que o amor de Jesus estivesse presente em nossas vidas. Com 9 anos eu entrei para o Ministério de dança, eu era a mais nova do grupo, e nossa líder focava bastante na importância de buscarmos nossa própria espiritualidade e intimidade com o divino. Talvez seja isso que realmente mudou minha vida e me trouxe o despertar da consciência. Quando eu entendi que espiritualidade era uma relação, onde eu precisava realmente investir minha energia, tempo e um momento de introspecção para cada vez mais estreitar o meu laço com Deus e nos levando a um maior grau de intimidade, tudo mudou. Todos os dias eu tirava uma hora para ter meu momento com Ele e aos poucos as experiências foram ficando mais intensas. Tive visões de outras dimensões (hoje eu entendo isso, na época não sabia dar nome), meu corpo físico estava lá deitadinho no chão enquanto meu espírito vagava pelo universo. Num sentido de arrebatamento, eu estava em outros lugares. Sempre recebia muita informação e amor em imensidão. Vi uma cidade de casas de cristais e ruas de ouro. Vi uma sala com um mar de vidro que por baixo dele dava pra ver vários planetas, inclusive a Terra. Vi seres de luz preparando um banquete numa mesa que era impossível ver o fim. Vi um batalhão de anjos em frente a um portão enorme, que ainda estava fechado, mas a ordem era de "logo o portão se abrirá". Enfim, vi muitas coisas de outro plano. Isso fortaleceu muito minha relação com o divino. Às vezes eu chamava minha mãe para entrar no quarto quando tinha algo lá e ela se arrepiava inteira porque sentia a presença... Quem é mais próximo de mim sempre tem a oportunidade de vivenciar certas experiências espirituais. Já estão acostumados, até mais do que eu hahaha





Quando eu dançava na Igreja, as pessoas me diziam que parecia que eu flutuava. Eu me entregava. Não estava ali pelas pessoas, eu estava ali imersa na presença de Deus. Eu dançava para louvar e adorar algo maior do que eu. À partir daí, as pessoas já sabiam que eu era uma criança diferente e bem espiritualizada.
Houve um dia, que eu visualizei minha líder de dança com roupas cinzas e muito triste. A imagem foi tão forte que eu não conseguia parar de chorar e fiz minha mãe me levar até a casa dela. Chegando lá, eu contei o que tinha acontecido e ela começou a chorar dizendo que naquele dia ela achava que havia perdido um bebê. Nós nos consolamos e oramos juntas. Mas eram coisas desse nível...
Mas a maior experiência espiritual da minha infância aconteceu quando eu tinha uns 11/12 anos. Eu acordei de madrugada e na parede ao lado da minha cama estava refletido a imagem de um pássaro com as asas abertas. Fui olhar para a janela pra saber de um estava batendo a luz que fez refletir isso e lá estava ele: um anjo de muita luz na beira da minha cama. Ele se identificou como Arcanjo Miguel e perguntou: "por que você não está usando sua espada?". Eu sabia qual era a simbologia da espada para o cristianismo, que significa "a palavra", mas paguei de louca com o anjo hahaha e perguntei "que espada??". Ele me disse que eu sabia o que era e que havia um recado pra mim: Isaías 42:1. Aí acabou a visão e eu voltei a dormir. No outro dia acordei tipo QUE QUE ACONTECEU?? E achei que tivesse sido só um sonho. Mas, quando eu levantei, minha bíblia em cima da cama estava aberta em Isaías 42............. Não tinha nem como duvidar.
Isaías 42:1 "Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se apraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; ele trará justiça aos gentios."
Aí tá né... Continuei minha vida. E vocês acreditam que 10 anos depois, que é hoje, caiu um livro na minha mão esse ano, que eu até cheguei a comentar no último post do proteção espiritual, chamado Anjos caídos o que você precisa saber e que entre outras coisas, conta de como Arcanjo Miguel está chamando seus >eleitos< (assim como estava no versículo que ele me deixou) para serem >instrumentos de canalização< da vontade de Deus (que é justamente o que eu dizia que eu sentia que era meu propósito aqui na Terra). Acreditem se quiser hahah a confirmação veio 10 anos depois. E hoje em dia eu uso minha palavra mais do que nunca, não é a toa que você está lendo o que estou escrevendo agora e de alguma forma essa energia está chegando até você. 
Tenham em mente que quando eu tinha 12 anos, meu conhecimento era bem limitado sobre essas coisas... Eu usava mais da minha intuição para interpretar as coisas e aí hoje que eu estudo sobre isso, tudo se confirma e me valida. É um sentimento incrível! Mas ao mesmo tempo, traz MUITA responsabilidade. E ah, uma coisa muito importante: com 12 anos eu me mudei de cidade e depois disso acabei me distanciando da religião. Com 13 anos eu já não me considerava mais evangélica. E à partir de os 16 eu realmente me defini como sem religião e continuo assim até hoje. Não me prendo a nenhuma em específico, mas não desmereço ou duvido de nenhuma. Pelo contrário, me interesso pelo o que cada uma tem de bom para oferecer. Mas a minha religião é a minha própria espiritualidade, a minha própria ligação com o divino.
Fui procurar imagens de Miguel pra ilustrar aqui pra vocês e em quase todas ele está com sua espada, assim como ele me disse que eu deveria usar a minha. Esse arcanjo é identificado como guerreiro de luz e o raio azul.


Bem, o que tem de mais atual em relação à minha espiritualidade é que conheci uma escola de magia e fui em dois sabbats lá. É muito legal como eles lidam com os quatro elementos da natureza, as leis herméticas, simbologia e toda a busca de evolução interior. Tenho aprendido muito com o pouco que pude estar lá, em contato com o espaço e com as pessoas. Não é vinculado a nenhuma religião e tem gente de todo os tipo.
Muita coisa tem acontecido e eu pretendo ir postando aos poucos aqui pra vocês assim como faço sobre as meditações, até porque muitas dessas experiências atuais acontecem nas meditações mesmo. Vários acontecimentos ultimamente tem envolvido a chama violeta de Saint German, patrono da era de Aquário, mas falo mais disso depois. Além disso, tem minha teoria que está em plena construção e cada dia recebe um pouco mais de informação que me vem ou que aparece pra mim nos livros de física quântica que estou lendo para o meu TCC, nas pessoas que eu conheço pelas sincronicidades da vida ou em posts sobre espiritualidade de outros blogs. Tudo está caminhando... 
Para terminar a pergunta, acredito que moldei meus princípios espirituais primeiramente pela minha base cristã, então eu tive um ensinamento voltado ao amor e a ética bem fortes (minha ex-igreja não era radical nem pregava o ódio como muitas que vejo por aí). Mas o que realmente me moldou e me modificou por completo foram minhas próprias experiências espirituais e o conjunto de sincronicidades que acontecem e eu só consigo agradecer a Deus/Universo por como tudo está acontecendo. Minha vida é muito loucaaaaaaa, eu sempre me surpreendo hahah quem convive comigo sabe! Andresa que o diga!! (amiga que mora comigo, já falei dela aqui: como é morar com a minha melhor amiga.


2) Como começou o seu despertar espiritual? Ou vc sempre foi desperta pra espiritualidade? 
Autora da pergunta: @mistica.mente

Então, acho que a resposta anterior já responde muita coisa... Acho que sempre fui desperta pra espiritualidade, mas talvez o que fez despertar minha consciência aconteceu ano passado. Quando eu terminei meu namoro de 4 anos porque nossas vidas seguiram caminhos diferentes e não estávamos mais no mesmo timing, eu me vi sozinha e não sabia o que fazer com tanta energia (que antes era direcionada ao namoro). Com a terapia, fui tentando descobrir o que eu amava em mim porque eu não sabia ao certo como me amar. Comecei a namorar bem cedo, tinha 17 anos, e só acabou quando eu tinha 21. Então por muito tempo tinha alguém ali pra me amar e eu não precisava pensar tanto no que eu gostava em mim... até aquele momento. Esse processo não foi fácil e eu ainda continuo nessa jornada, mas a primeira coisa que eu consegui perceber que eu gostava era o meu lado metafísico. Aquilo que não era concreto... Minha inteligência, meu jeito de pensar, meus ideais.. E por aí começou um profundo mergulhar em mim mesmo. E uma frase que eu sempre digo é "o autoconhecimento leva ao amor próprio". Eu tive que me deparar com meus traumas, meus defeitos e minha sombra. Mas foi isso que realmente despertou minha consciência, tanto voltada pra mim, quanto voltada para o mundo, e daí que se iniciou minha teoria também. Meu despertar aconteceu com 21 anos e dizem que com 21 é quando você atinge a maturidade espiritual, sua alma termina de encarnar de vez nesse corpo. Com isso fui aprendendo o meu jeito de meditar e me apaixonei pelos insights e experiências que ela me traz (como vocês podem ver nos posts de meditação aqui: post 1 post 2 etc)

3) Oque é a alma e qual é a influência dela na nas ações e acontecimentos na vida de um indivíduo? 
Autor: @ramir_elom

Alma, pra mim, é aquilo que habita seu corpo como se este fosse um templo que existe pra receber uma alma, que anima aquele corpo e dá vida à ele. É a que carrega o seu propósito nessa vida. Então, em relação à influência nas ações e acontecimentos na vida de alguém, acredito que antes de você vir à essa vida específica, sua alma decidiu qual corpo seria, qual família, que lugar na Terra, qual karma tinha que resolver e qual propósito de evolução ela tinha que cumprir. Porém, o Todo nos dá o livre-arbítrio, que é a liberdade que temos de escolher nossa própria realidade dependendo daquilo que vibramos. Se você escolher opções que te distanciem do seu propósito, será uma vida que perderá o sentido, uma vida vazia, sem brilho no olhar (não é difícil de identificar pessoas assim), porque geralmente essas pessoas não escutaram a voz de seus corações e optaram por coisas que às vezes a sociedade demandava ou o ego clamava. As pessoas que fizeram o contrário, ou seja, as que respeitaram seus anseios e seguiram sua intuição sobre optar em fazer e viver aquilo que os animavam, enchiam de vida e dava sentido, vão entrando em consonância com o propósito de sua alma e a vida vai se desenrolando mais e mais para que isso aconteça. Como? Alguns exemplos: as "coincidências" vão aumentando, você vai conhecendo as pessoas certas, aquela oferta de emprego que você tanto sonhava chega, você encontra um amor tranquilo, pra resumir, o universo deseja que seu propósito seja cumprido porque é isso que você veio fazer aqui, mas toda decisão é sua. A escolha é sua. A alma é metafísica, imaterial e pode sair do corpo. Acredito também que exista alma em tudo que vive: animais, plantas, humanos e extraterrestres (seres de dimensões não terrenas). Também penso que cada essência é única, porém a alma pode ser velha e ter vivido outras vidas várias outras vezes, porém cada vez que essa alma vem à vida, sua essência torna-se singular, afinal: cada ser é um ser e a energia criadora divina é >criativa< e não gosta muito de repetir em suas criações hahah pura arte! Conecte sua alma com o divino e realinhe-se à sua essência!




You May Also Like

0 comentários